7 Dicas para Contratar Freelancer

Como contratar freelancer

Atualmente existem diversos sites que intermediam as relações entre as partes contratante e contratada da prestação de serviços freelancer, para isso esses sites cobram como taxa de serviço uma porcentagem do valor total do serviço orçado pelo freelancer, em torno de 10%. O que significa que se o orçamento para um determinado trabalho for de, por exemplo, R$ 100,00, a plataforma intermediadora ficará com aproximadamente R$ 10,00.

Como tratado no artigo: http://comomontarumblog.com.br/webdesigner-freelancer/, uma das grandes vantagens oferecidas por essas plataformas de intermediação de serviços freelancer, é colocar à disposição do contratante profissionais do mundo inteiro, dessa forma, serão muitas as opções para se escolher e posteriormente estimar o custo benefício de cada uma delas. Além de conferir uma maior segurança à negociação, tanto para o contratante como para o contratado.

Porém, em alguns casos, seja por não ter habilidade com a língua estrangeira, ou então por uma questão pessoal, o contratante pode optar por solicitar os serviços de um freelancer sem utilizar uma plataforma específica para mediar essa negociação. Se assim optar, algumas considerações são fundamentais e devem ser levadas em conta, para que ao final do serviço, ambas partes fiquem satisfeitas.

7 Dicas fundamentais para antes de contratar um freelancer

1) Estabeleça prazos

Aqui devem ser estabelecidos claramente os prazos de pagamento e entrega do serviço, e os emails e documentos com essas datas deverão ser copiados, para eventualmente serem consultados em futuras referências.

2) Estabeleça um preço fixo por cada seção do trabalho

dicas-para-contratar-freelancerUma das maiores dores de cabeça que pode haver na relação entre contratante e freelancer é não ter uma definição clara do preço a se pagar por cada parcela do trabalho. Pode haver alguns mais complexos, imagine que o serviço contratado seja referente à montagem de um site completo e do zero, e que para isso, o desenvolvedor tenha que construir alguns plugins e implementar várias atribuições. E ao final do serviço, seja constatado que um plugin não está de acordo com o que eventualmente foi pedido pelo contratante, ou ainda que o freelancer alegue que algo não foi claramente definido pelo contratante em relação à implementação do plugin. Então surge um impasse, dentro do valor do serviço estipulado para o site, qual o valor de produção desse plugin em específico?

Um caso mais simples é em relação ao serviços de redator e transcritor, uma boa dica para esses casos é estipular um valor por cada palavra do artigo a ser produzido ou transcrito. Estipular o preço de acordo com o tempo que o freelancer alega demandar para construir cada artigo, pode em muitos casos trazer problemas.

3) Use um site para compartilhamento de arquivos

O Dropbox é uma boa pedida para uma melhor organização dos trabalhos entre contratante e freelancer, e inclusive conta com uma versão business, feita especialmente para trabalhos desse tipo. O Dropbox facilita no compartilhamento de pastas e arquivos entre as partes, entre outros.

4) Registre tudo em uma planilha Excel

Para uma melhor organização, o ideal é registrar tudo acerca dos trabalhos em uma planilha Excel, sejam datas estipuladas para entrega de cada trabalho, progresso em cada um deles, datas e valores de pagamento, cumprimento de metas, entre outras peculiaridades de cada trabalho. Uma outra dica é compartilhar essa pasta no Dropbox, deixando ela acessível tanto para o contratante, como para o freelancer.

5) Guarde comprovantes de pagamento

Seja qual for a forma de pagamento, o ideal é ter sempre disponível os comprovantes de pagamentos, para evitar possíveis questões mal resolvidas que possam surgir no futuro.

6) Peça uma avaliação teste ou preview do trabalho

Isso depende muito da natureza do trabalho, mas se possível, peça antes uma pequena amostra dos serviços do freelancer, principalmente caso este não tenha um portfólio. Aliás, de preferência, deve-se evitar freelancers que não tenham portfólio.

7) Pague sempre depois de feito parcialmente ou completo o serviço

É incrível, mas alguns freelancers, mesmo sem portfólio, exigem pagamento antecipado de seus serviços. Por uma simples razão de que quem está pagando é o contratante, ele deve ter prerrogativas sobre essa ação. Cada não haja acordo, não há problemas, há milhares de profissionais oferecendo serviços, e milhares de contratantes necessitando desses mesmos serviços. Até mesmo se o contratante já estiver habituado a contratar os serviços desse freelancer, o ideal é que pague apenas após receber parcialmente ou completo o serviço. O que mais vê-se de corriqueiro em fóruns, é “profissionais” que receberam o pagamento e depois sumiram do mapa.

Artigos Similares
Como migrar um site Há basicamente dois tipos de migração...
O que são plugins? Os plugins servem para adicionar diversas...
Como fazer uma fan page Nesse post o Como Montar...
O que é e como ganhar dinheiro com o Google...
Quais são os melhores programas de afiliados da internet? Nesse...
Templates para blog Nesse post o Como Montar um Blog...
Qual é o melhor site para criar um blog? O...
Qual a diferença entre site e blog? Existem algumas pequenas...
Google Analytics no WordPress: como instalar Uma forma rápida de...
O que fazer para registrar um domínio? O domínio é...
Como fazer para divulgar meu blog? Antes de começar a...
Quais são as piores hospedagens de sites? Alerta vermelho: as...
O Brasil é o segundo país do mundo com o...